Então, eu fui para as ruas…

E como prometido, vim contar tudo para vocês.

Bom, para mim tudo começou as 15h quando eu fui até a Praça aqui da minha cidade onde estava tendo a confecção de cartazes e etc. Já estava completamente lotado, mas achei tudo muito organizado. O que achei estranho foram as bandeiras de partidos e alguns políticos (que inclusive, algumas pessoas estavam protestando contra) que tiveram a ousadia de aparecerem lá. Eu não os vi novamente, acho que tiveram medo de apanhar… (Para quem é daqui, foram os Irmãos Prado que apareceram por lá).

Imagem

Depois de toda aquela confusão de preparação para a manifestação, eu finalmente coloquei meus coturnos e fui caminhar até a prefeitura, junto com milhares de pessoas. Foi uma coisa… Fenomenal. Não dá para descrever. Acho que talvez, por sermos ‘’da internet’’ e lidarmos com grandes números no facebook, instagram e twitter, não temos mais noção de multidão. Para gente é só um número. E como estamos praticamente sozinhos nas redes sociais, não sentimos o peso dessas pessoas. Mas, quando a gente sai para a rua, e vê aquele tanto de gente, com o rosto pintado de verde e amarelo, segurando cartazes, chamando as pessoas para vir as ruas, se unindo… É de arrepiar. Você se sente parte de um todo, como nenhuma rede social consegue fazer. É lindo demais.

Imagem

Então vamos seguir, né? Bem, nós caminhamos, gritamos, cantamos… Fizemos de tudo um pouco, até chegar na prefeitura. Quando chegamos lá, meus pés já estavam implorando por um descanço, mas eu não os ouvi, continuei seguindo e caminhando, adentrando na prefeitura junto com o grupo. A gente não tinha noção de quantas pessoas tinham. Quando chegamos, já tinha muita gente lá. É uma coisa muito louca, gente! E todos sentados, com seus cartazes, parando a prefeitura! Até que muita e muita gente entrasse na prefeitura. Eles começaram a chamar o prefeito, xingá-lo e derivados. E quando viram que o prefeito não iriam aparecer, eles saíram por outro lado. Eu não estava entendendo o que estava acontecendo, e de repente, escutei um cara do meu lado gritar ‘’ELES VÃO INVADIR!”. Confesso que fiquei muito assustada. Eu não queria nenhuma daquelas cenas de guerra do Rio de Janeiro e São Paulo. Eu só queria paz. Só queria que nos ouvissem. Por isso, não os segui. Não queria dar mais força à eles e nem me meter em encrenca, mas quando vi que eles não estavam invadindo, que eles continuavam protestando na paz, eu fui, mesmo com medo, para ver o que estava acontecendo. Eles estavam em outra entrada da prefeitura, e continuavam chamando o prefeito, até que começaram a jogar bombas. Todos nós vaiávamos e gritávamos ‘’Sem violência, sem violência!’’, mas não adiantava, as bombas continuavam a vir. De repente, todo mundo começou a gritar e correr desesperadamente. Eu, como não sou boba, corri também. Não sabia, e até agora não sei o que aconteceu, mas coisa boa não foi. Naquela hora fiquei extremamente assustada e decidi sair daquela área. Quando sai, vi que ainda tinha MUITA gente chegando. Muita gente mesmo! Vocês não tem ideia, parecia que não ia parar de surgir gente. Mas a manifestação já havia se dispersado. O pessoal que estava chegando dizia que iam para a casa do prefeito, outros grupos iam no caminho oposto, bombas não paravam de explodir em todo e qualquer lugar… Estava um caos. Então eu me refugiei em um cantinho e esperei para ver o que ia dar. Apareceram dois helicópteros, passeatas de políticos levantando bandeiras de seus respectivos partidos e etc, mas ninguém sabia dizer o que estava acontecendo ali. Quando eu estava saindo da prefeitura, eu vi um adolescente pichar um muro da prefeitura, mas foi o único ato de vandalismo que eu vi.

Depois de ficar lá um bom tempo, comecei a andar e ver o que estava acontecendo… Tinha até MST ali se aproveitando do movimento! Aquilo estava virando uma confusão. Mas, de repente, começou a se organizar. Alguns caras subiram numa árvore e gritaram palavras de ordem para o povo, junto com os cartazes que carregavam. E em meio à isso, muitas pessoas continuavam caminhando sem saber para onde. Mas um ‘’líder’’, digamos assim, assumiu a sua posição, pegou um microfone e orientou todo mundo. Disse o que deveríamos fazer e como. Explicou tudo. Foi lindo.

Imagem

Imagem

Depois disso não teve muita coisa. Estava todo mundo muito cansado e não tinha mais nada para fazer. Como estava praticamente todo mundo parado sem fazer nada, eu decidi ir embora. Infelizmente, enquanto ia embora presenciei um bandido tentando saquear uma loja. Mas graças as pessoas gritando “Desce, desce, desce” (ele estava no telhado da loja), ele desceu e ficou tudo bem.

Então eu fui para casa feliz, com o dever cívico cumprido, por os meus pobres pés para cima.

P.s: Gente, desculpa por ter tirado poucas fotos, e elas estarem horríveis… É que eu ficava com medo de tirar foto e ser roubada, e além disso, as pessoas estavam andando, correndo, então não tinha jeito da foto não sair tremida.

Anúncios

2 comentários sobre “Então, eu fui para as ruas…

  1. Valeu, Pê!
    Ah, aí é complicado né.. Eu presenciei algumas cenas de baderneiros, e é foda mesmo. O pior é que eles se aproveitam de uma manifestação pacífica para fazer confusão/saquear lojas. Muito chato isso.

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s